Questão de Pontuação

        
        Salve, salve, turm@ que interage com o blog Diário Virtual de Leitura!
      A postagem de hoje faz uma relação com a nossa língua materna no que se refere aos sinais de pontuação. Quem não já se viu com dúvidas quanto ao uso desses sinais? Pois bem, mas o texto a seguir poema de João Cabral de Melo Neto ( para saber mais sobre o autor clique aqui) nos sugere uma relação de reflexão que vai muito além de saber utilizar a pontuação de nossa língua. Você pode pensar nas relações humanas, na vid@, enfim...
        Desta forma, leia a seguir o poema e deixe suas impressões sobre o eixo central do texto: a que ele se refere? Que reflexões possibilita?

Questão de pontuação
—–
                                                       João Cabral de Melo Neto
—-
Todo mundo aceita que ao homem
cabe pontuar a própria vida:
que viva em ponto de exclamação
(dizem tem alma dionisíaca);
—–
viva em ponto de interrogação
(foi filosofia, ora é poesia);
viva equilibrando-se entre vírgulas
e sem pontuação (na política):
—-
o homem só não aceita do homem
que use a só pontuação fatal:
que use, na frase que ele vive
o inevitável ponto final.

Fonte: Agrestes, João Cabral de Melo Neto, Rio de Janeiro,  Nova Fronteira: 1985

Comentários

  1. Muito interessante o poema. O autor João Cabral de Melo Neto usa os sinais de pontuação para expressar o modo de viver dos homens, ele usa os sinais com sentido de alegria, questionamento, etc. E ele encerra dizendo para que o homem não use o ponto final em sua vida.
    Hospedagem 2

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. O Poema do João Cabral de Melo Neto tem o objetivo de Desenvolver no leitor a habilidade de reconhecer o emprego da pontuação além de identificar a metáfora em textos poéticos. Fabrício -> Hospedagem 2

    ResponderExcluir
  6. Ótimo poema João. Gostei muito do seu poema principalmente do final que fala que os homens não usem um ponto final na sua vida.
    Amei ❤ Parabéns .
    Hospedagem 2

    ResponderExcluir
  7. Ótimo poema João. Gostei muito do seu poema principalmente do final que fala que os homens não usem um ponto final na sua vida.
    Amei ❤ Parabéns .
    Hospedagem 2

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Gostei muito do poema. Achei muito interessante o modo como o autor usa os sinais de pontuação para expressar os comportamentos e atitudes dos seres humanos e sua mensagem no final que diz que é inevitável o uso do ponto final em nossas vidas.
    Hospedagem 2

    ResponderExcluir
  10. O poema do João Cabral de Melo Neto é bastante interessante, pois ele leva os sinais de pontuação para expressar as atitudes das pessoas, e ao mesmo tempo o texto além de ser muito lindo, acaba nos ensinando os lugares corretos dos sinais. Na vida é inevitável passar por ela e não usar os sinais de interrogação, exclamação, ponto final e etc, usamos a exclamação quando estamos alegres, interrogação quando temos dúvida ssobre a nossa vida confusa, temos também o ponto final que é uma das certezas da vida, vamos ter esse ponto final sem dúvidas, porém nunca estamos preparados, sempre queremos poder usar mais sinais na vida, esses são alguns dos inúmeros sinais que usamos. Muito bom o texto pois além de nos ensinar, também nos ajuda a refletir sobre a vida.
    Hospedagem 2

    ResponderExcluir
  11. Que poema maravilhoso 😍
    João, primeiramente quero te parabenizar pelo seu trabalho está fantástico, o jeito em que o autor ressalta o modo de pontuação para se expressar. O final é o melhor onde ele fala que o homem não usa o devido ponto final na sua vida, me chamou bastante atenção. O poema além de ensinar sobre a pontuação é bem reflexivo. Espero ver outros poemas do autor aqui! ❤

    Hospedagem 2

    ResponderExcluir
  12. Adorei o poema, parabéns João Cabral e já tinha visto outro bem interessante, o relógio que fala como se ele fosse uma gaiola. Já este poema me chamou a atenção logo no começo quando ele fala que o homem cabe a pontuar a própria vida,escolher seu destino e o questioná-lo.
    Hospedagem 2

    ResponderExcluir
  13. Adorei o poema, parabéns João Cabral e já tinha visto outro bem interessante, o relógio que fala como se ele fosse uma gaiola. Já este poema me chamou a atenção logo no começo quando ele fala que o homem cabe a pontuar a própria vida,escolher seu destino e o questioná-lo.
    Hospedagem 2

    ResponderExcluir
  14. Um ótimo poema, João Cabral usou os sinais de pontuação da língua, para expressar o sentimentos e os sentidos do homem.
    Hospedagem2

    ResponderExcluir
  15. interessante a forma em que ele usa as pontuações da linguá portuguesa alem das Metáfora utilizada. Parabéns João Cabral
    Ana Clara Barreto - Hospedagem 2

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O CARNAVAL DE ONTEM E HOJE

As tão sonhadas férias chegaram e...

Vamos travar a língua?