18 de abril de 2014

Dia Nacional do Livro Infantil



            Saudações leitoras, turm@ que acompanha o blog Diário Virtual de Leitura!
Hoje, 18 de abril, é comemorado o Dia Nacional do Livro Infantil. A data foi criada em 2002 para homenagear o dia do nascimento de Monteiro Lobato, um dos principais escritores da literatura infantojuvenil brasileira e o criador de personagens memoráveis como a Boneca Emília, o Saci e toda a turma do Sítio do Pica-Pau Amarelo.
A literatura infantil ainda tem muito espaço para crescer no país. Segundo dados do Ministério da Cultura, o índice de leitura do brasileiro é baixo: 4,7 livros per capita/ano e 1,3 se não colocar os livros escolares e didáticos na conta. Além disso, mais de 600 municípios não têm bibliotecas e, nos lugares que existem, muitas estão em situação precária de acervo e instalações, com baixo índice de utilização.
Dessa forma, para que as crianças se desenvolvam melhor e tenham contato com os livros diariamente, alguns projetos do bem entram em ação para fazer com que o interesse pela leitura seja um processo constante e comece desde muito cedo. Formar uma legião de pequenos leitores fiéis é a certeza de preparar adultos mais informados e instruídos no futuro.
Por isso, o blog para comemorara esta data tão significativa resolveu postar a seguir alguns desses projetos brasileiros de leitura como forma de socializar as ideias que dão certo e colaboram para o hábito de leitura em nosso país.

1. Instituto História Viva
Fundado em 2005, o Instituto História Viva tem sede em Curitiba, no Paraná, e um objetivo muito nobre: incentivar o saudável e imprescindível hábito da leitura por meio de contação de histórias para crianças hospitalizadas. A ONG ainda atende adultos e idosos, levando carinho e alegria para abrigos, asilos, hospitais e casas de apoio da capital paranaense e de outras cidades pelo Brasil. 
Mais informações: www.historiaviva.org.br

2. Vaga Lume
Há mais de 12 anos, a Vaga Lume desenvolve projetos educativos e culturais a partir do trabalho voluntário em 23 municípios da região da Amazônia Legal brasileira (Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins) e também na cidade de São Paulo, onde a organização está sediada. 
No Programa Expedição, um dos projetos da instituição, o objetivo é levar a leitura para crianças por meio de três ações conectadas: doação de estruturas para montar bibliotecas comunitárias, formação de voluntários mediadores de leitura e incentivo à gestão comunitária da biblioteca. A iniciativa ainda desenvolve rodas de histórias, nas quais os membros mais antigos das comunidades contam 'causos', lendas e mitos da região para a criançada. No final, tudo o que foi ouvido é registrado em livros artesanais e colocado nas estantes da biblioteca. 
Mais informações: www.vagalume.org.br

3. Projeto “Ler é Bom, Experimente”
Realizado desde 2000, com o apoio do Ministério da Cultura e outros parceiros, o projeto “Ler é Bom, Experimente” incentiva a leitura por meio de doações de livros e atividades em escolas estaduais e municipais de todo o Brasil. A ação, que beneficia cerca de 300 instituições e 50 mil alunos por ano, é realizada pelo grupo Projetos de Leitura, cujo idealizador é o escritor infanto-juvenil Laé de Souza.
Mais informações: www.projetosdeleitura.com.br

4. Projeto 'Dose de Leitura'
'Ler é Bom, Experimente' não é o único projeto desenvolvido pelo grupo Projetos de Leitura para incentivar o hábito de ler. Realizado em hospitais, o 'Dose de Leitura' tem o objetivo de ocupar o tempo do paciente por meio de um momento agradável com os livros. 
Mais informações: www.projetosdeleitura.com.br

5. Projeto 'Barca dos Livros'
Este projeto, desenvolvido pela Sociedade Amantes da Leitura, oferece uma forma diferente e divertida para crianças de todas as idades aprenderem novas histórias. Enquanto passeiam de barca pelas águas da Lagoa da Conceição - um dos principais cartões-postais de Florianópolis -, os pequenos leitores têm a oportunidade de 'devorar' os livros disponíveis na biblioteca comunitária. Além de estimular o prazer da leitura e alimentar a imaginação, a iniciativa promove shows musicais e narração de histórias dentro da embarcação especialmente adaptada para as crianças e seus pais. 
Mais informações: www.barcadoslivros.org

6. Leitura no Beco
De autoria da Associação de Ação Social Viva a Vida, o projeto 'Leitura no Beco” vem transformando a vida de pequenos novos leitores em Aglomerado da Serra, o maior conjunto de favelas da capital mineira. Com o apoio da Defensoria Pública desde a primeira edição, em 2011, a iniciativa tem o objetivo claro de proporcionar novas experiências e incentivar o gosto pela literatura e pelos estudos em crianças e adolescentes da comunidade.
Uma vez por mês, um dos becos da favela vira um espaço de lazer destinado à convivência dos moradores. Além de atividades relacionadas à leitura, há apresentações de teatro, dança, shows, exposição de artesanato e distribuição de lanches. O projeto conta com aproximadamente 500 livros e revistas infantojuvenis, todos vindos de doações.

7. T-Bone Cultural
Livros e açougue combinam? Em Brasília, sim! Essa história começou em 1994, quando o dono do empreendimento, Luiz Amorim, começou a disponibilizar algumas obras literárias para que seus clientes lessem enquanto aguardavam os pedidos. Mais de uma década depois, em 2007, os livros saíram do açougue T-Bone para integrar o projeto “Biblioteca Popular”, uma iniciativa interessante em que estantes repletas de títulos adultos e infantis ficam à disposição de qualquer cidadão em 37 paradas de ônibus da avenida W3 norte da capital federal.
Com o conceito de empréstimos informais de livros, sem a exigência de documentos ou preenchimento de qualquer cadastro, os pontos de leitura funcionam 24 horas e têm uma média de 15 mil livros disponíveis ao dia. A reposição é feita por funcionários dos projetos culturais T-Bone com doações feitas diariamente à organização, que conta com alguns parceiros e patrocinadores.
Outra vertente do projeto são as Estações Culturais que oferecem, além dos livros, totens multimídia com acesso à internet. Assim como a Biblioteca Popular, esse serviço também é gratuito à população.
Mais informações: www.t-bone.org.br

8. Espaços de Leitura
Idealizado pelo Instituto Nordeste Cidadania (Inec), o projeto “Espaços de Leitura” tem como função social promover o acesso à leitura por meio da construção de locais adequados aos livros e seus leitores em comunidades de baixa renda. Por meio de um mutirão feito com os próprios moradores, esses espaços são montados e ganham vida com novas estantes, restauração de móveis e equipamentos e pinturas relacionadas à cultura local. Além disso, o projeto busca capacitar voluntários e facilitadores para promover atividades culturais dentro das novas instalações. 
Desde a criação do projeto, em 1999, até hoje foram criados aproximadamente 50 espaços com o apoio mensal da organização. A maioria fica no estado do Ceará mas há unidades na Bahia, Rio Grande do Norte, norte de Minas Gerais e Espírito Santo.
Mais informações: www.inec.org.br

9. Projeto 'Leitura: Uma Janela para um Novo Mundo'
A iniciativa da professora Clarisa Wolff Garcez prova que não é difícil reservar um tempo da rotina atribulada e oferecer carinho para quem necessita por meio do trabalho voluntário. Com o projeto 'Leitura: Uma Janela para um Novo Mundo', ela leva o poder da leitura e apoio pedagógico para crianças e adolescentes que estão na fila de transplante do Instituto Via Vida Pró Doações e Transplantes, em Porto Alegre. 

10. Redes de Leitura
Desenvolvido pela ONG Cirandar, de Porto Alegre, o Redes de Leitura visa promover o gosto pelos livros por meio de bibliotecas comunitárias de associações e instituições sociais, localizadas principalmente na periferia da capital gaúcha. O foco do projeto é apoiar e melhorar os espaços, além de aumentar os acervos e organizar atividades de mediação da leitura. O Cirandar também fica responsável por formar profissionais para estimular a leitura nas comunidades e realizar ações de monitoramento para que as bibliotecas não se tornem um espaço ocioso. O objetivo é democratizar a leitura e estimular o empréstimo e a circulação dos livros.
Mais informações: www.cirandar.org.br

Fonte: http://estilo.br.msn.com



Um comentário:

  1. Excelente a idéia de projetos para fazer crianças entrar no mundo da leitura mais cedo, apesar do meu caso de apenas me envolver nos livros na fase da juventude, eu acho incrivel quando vejo uma criança com os olhos vidrados na leitura de um livro

    ResponderExcluir

A menina de Goiás

       Saudações literárias, turm@ que acompanha o blog Diário Virtual de Leitura!       Após um período de ócio produtivo, o bl...