7 de dezembro de 2014

Curiosidades Literárias

      
      Saudações leitoras, turm@ que acompanha o blog Diário Virtual de Leitura!
     O assunto leitura é sempre recorrente em nossas postagens, se não o fosse, o blog não teria esse nome e propósito, por isso, nossa postagem de hoje possibilita a nós, leitores de plantão, descobrirmos um pouco mais sobre a leitura, não das obras, mas de seus autores. 
   Muitas vezes, nos instigamos com o enredo, o desenvolvimento da trama e as aventuras e os desamores vividos pelos personagens, que ficam em nosso imaginário, no entanto, raras vezes nos perguntamos sobre o que fazem, o que gostam ou quais  manias os seus criadores, os mestres da literatura que tão brilhantemente criam e nos envolvem em seus histórias, através dos personagens e enredos. 
    Pensando nesse paralelo, socializamos algumas curiosidades literárias coletadas da página Eu amo ler no facebook. Leiamos!

# Aluísio de Azevedo tinha o hábito de, antes de escrever seus romances, desenhar e pintar, sobre papelão, as personagens principais mantendo-as em sua mesa de trabalho, enquanto escrevia.

# Aos dezessete anos, Carlos Drummond de Andrade foi expulso do Colégio Anchieta, em Nova Friburgo (RJ), depois de um desentendimento com o professor de português. Imitava com perfeição a assinatura dos outros. Falsificou a do chefe durante anos para lhe poupar trabalho. Ninguém notou. Tinha a mania de picotar papel e tecidos. "Se não fizer isso, saio matando gente pela rua". Estraçalhou uma camisa nova em folha do neto. "Experimentei, ficou apertada, achei que tinha comprado o número errado. Mas não se impressione, amanhã lhe dou outra igualzinha."

# Numa das viagens a Portugal, Cecília Meireles marcou um encontro com o poeta Fernando Pessoa no café A Brasileira, em Lisboa. Sentou-se ao meio-dia e esperou em vão até as duas horas da tarde. Decepcionada, voltou para o hotel, onde recebeu um livro autografado pelo autor lusitano. Junto com o exemplar, a explicação para o "furo": Fernando Pessoa tinha lido seu horóscopo pela manhã e concluído que não era um bom dia para o encontro.

# Euclides da Cunha, Superintendente de Obras Públicas de São Paulo, foi engenheiro responsável pela construção de uma ponte em São José do Rio Pardo, SP. A obra demorou três anos para ficar pronta e, alguns meses depois de inaugurada, a ponte simplesmente ruiu. Ele não se deu por vencido e a reconstruiu. Mas, por via das dúvidas, abandonou a carreira de engenheiro.

# Gilberto Freyre nunca manuseou aparelhos eletrônicos. Não sabia ligar sequer uma televisão. Todas as obras foram escritas a bico-de-pena, como o mais extenso de seus livros, Ordem e Progresso, de 703 páginas.

# Graciliano Ramos era ateu convicto, mas tinha uma bíblia na cabeceira só para apreciar os ensinamentos e os elementos de retórica.

    E aí, gostou? Qual curiosidade mais lhe surpreendeu? Não deixe de registrar sua resposta nos comentários em breve postaremos mais fatos intrigantes sobre nossos mestres da Literatura. 

4 comentários:

  1. Quê coisa inusitada!!!Mostra bem a verdade de quanto esses ícones literários são também humanos.Adorei as peripécias de Drummond!Embora discutíveis,mas simplesmente fora do padrão,não?

    ResponderExcluir
  2. Como é bom ler e saber sobre tais fatos e ainda conhecer um pouco mais desses grandes talentos da escrita. Descobrir que ate mesmo esses escritores tão apreciados, são pessoas normais igual a todos, que passam por varias experiências, desde um aviso do horóscopo, a manias e crenças diferentes.

    ResponderExcluir
  3. Carlos Drummond de Andrade , estou surpreso com tudo isso ! Rsrs , lendo você fica sabendo !

    ResponderExcluir
  4. Carlos Drummond de Andrade , estou surpreso com tudo isso ! Rsrs , lendo você fica sabendo !

    ResponderExcluir

A menina de Goiás

       Saudações literárias, turm@ que acompanha o blog Diário Virtual de Leitura!       Após um período de ócio produtivo, o bl...